EDUCAÇÃO

Projeto de São Luís é apresentado nos EUA

O projeto também tem como objetivo inspirar professores a desenvolver nas escolas projetos de aprendizagem criativa.

Reprodução

Projeto da Prefeitura de São Luís, desenvolvido pelo Núcleo de Enriquecimento para Estudantes com Características de Altas Habilidades e Superdotação (NEECAHS), criado na gestão do prefeito Edivaldo Holanda Junior, será apresentado esta semana nos Estados Unidos, como uma das sete iniciativas brasileiras selecionadas pelo Desafio Aprendizagem Criativa Brasil.

O trabalho selecionado cria, por meio de linguagem de computador, jogos eletrônicos e histórias interativas para crianças, estimulando a criatividade por meio de desafios baseados na resolução de problemas reais envolvendo diferentes área do conhecimento. A iniciativa foi escolhida entre mais de 325 propostas de todo o país, sendo a única do Nordeste selecionada. O reconhecimento é resultado da política de atendimento educacional especializado implantada na gestão do prefeito Edivaldo.

O Desafio Aprendizagem Criativa Brasil é uma iniciativa da Rede Brasileira de Aprendizagem Criativa com apoio da Fundação Lemann e do Massachusetts Institute of Technology Media Lab (MIT). O projeto da Prefeitura de São Luís será apresentado pela coordenadora e professora do NEECAHS/Semed, Sandreliza Mota, e pela professora Fernanda Serra, no MIT Media Lab, nos Estados Unidos.

O projeto também tem como objetivo inspirar professores a desenvolver nas escolas projetos de aprendizagem criativa.

“Este é um reconhecimento pelo trabalho que nossa gestão vem realizando para desenvolver habilidades dos nossos estudantes. Agora teremos a oportunidade de apresentar o projeto para educadores e pesquisadores da área da educação do laboratório do MIT, nos Estados Unidos. Estamos muito felizes”, disse o prefeito Edivaldo lembrando que no sábado passado outro projeto da rede municipal – o Contadoras de História – foi destaque no cenário nacional ao ser um dos ganhadores do Troféu Baobá de Literatura. “É muito gratificante para nós, para professores, gestores e para os estudantes da nossa rede esse reconhecimento. Nos motiva a cada vez mais trabalharmos para garantir uma educação de qualidade”. Além de apresentar o projeto no MIT Media Lab, as educadoras irão passar uma semana no Instituto de Tecnologia participando de capacitações e recebendo mentoria para implementação do projeto nas escolas municipais. A proposta é já iniciar o Makerspace Itinerante, como é chamado o projeto, a partir do mês de julho em escolas que serão selecionadas ainda neste mês, após o retorno das professoras dos Estados Unidos.

A ideia surgiu a partir da experiência com o uso da ferramenta de programação Scratch, criada pelo americano Mitchel Resnick, doutor do grupo Lifelong Kindergarten do MIT Media Lab.

VER COMENTÁRIOS
COLUNAS E OPINIÃO
Concursos e Emprego
Polícia
Você, Gastrô!
Entretenimento e Cultura
Mais Notícias