Transtorno de aprendizagem

Dislexia: Um desafio para professores e alunos

A dislexia é transtorno de aprendizagem que afeta a leitura e a escrita de cerca de 4% da população mundial e 15% do país. 

Foto: Reprodução

A dislexia é uma doença hereditária, no entanto preferem referir a ela como um transtorno de aprendizagem, não há cura, mas há tratamento com acompanhamento pedagógico, onde a pessoa exercita sua habilidade com a leitura e escrita, que é onde o disléxico sente mais dificuldade, já que precisa ler letra por letra para assimilar a palavra, logo precisam desenvolver a habilidade de apenas ler a palavra.  

Esse “transtorno” tem ganhado uma maior visibilidade nos últimos anos. A dislexia pode se tornar evidente geralmente durante a alfabetização, quando a criança começa a manifestar dificuldades em aprender, ou em alguns casos só vão se tornar visíveis quando começam a falhar na escola sem muita explicação, apresentando esses sintomas que podem facilmente serem confundidos com desinteresse ou preguiça, mas ainda há muita falta de compreensão sobre o assunto.  

Alguns sintomas durante a época escolar são: 

  • Dispersão e desatenção 
  • Dificuldade na leitura e escrita 
  • Confusão em definir esquerda ou direita 
  • Vocabulário pobre  
  • Desorganização geral 
  • Falta de interesse por livros 
  • Atraso na linguagem e fala 

O diagnóstico é feito através de uma avaliação com uma equipe multidisciplinar com acompanhamento de neurologista, fonoaudiólogo, psicopedagogo, onde é testada a leitura e escrita da pessoa e um psicólogo para validar o aspecto emocional. 

A instituição ABCD está na ativa desde 2009, tendo como objetivo fornecer apoio e aprimorar a qualidade de educação. A instituição tem projetos, como “Todos Aprendem” que tem como propósito formar o professor que possa identificar e ensinar melhor aos alunos que tem dificuldade em aprender.  

Há vários exemplos de pessoas que sofreram da dislexia, mas deram a volta por cima depois. Albert Einstein era considerado retardado, demorou nove anos para ser alfabetizado; Agatha Christie, grande escritora de romances policiais, tinha dificuldade em ler e soletrar; Van Gogh e Charles Darwin também são grandes exemplos. O ator Orlando Bloom, disse que a dislexia o deu uma direção, já que achava que devia trabalhar em dobro para chegar no mesmo lugar que outras pessoas.   

VER COMENTÁRIOS
COLUNAS E OPINIÃO
Concursos e Emprego
Polícia
Você, Gastrô!
Entretenimento e Cultura
Mais Notícias