VESTIBULAR

Pela primeira vez na história Enem não precisará ser reaplicado

Não houve nenhum problema de logística que inviabilizou a prova; nas duas cidades que faltou energia estudantes farão o vestibular no mesmo dia em que os presos provisórios

Estudantes chegam para o segundo dia de provas do Enem. (Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil)

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), responsável pela elaboração e aplicação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), informou que pela primeira vez na história não será necessária uma reaplicação de prova em função de problemas logísticos. A previsão é que na próxima quarta-feira (14), sejam divulgados os gabaritos, bem como os cadernos de questões pela página na internet e pelo aplicativo do Enem. Os resultados oficiais estão programados para serem divulgados no dia 18 de janeiro de 2019.

No caso dos participantes afetados pela falta de energia elétrica na primeira etapa, 993 em Franca (SP) e 759 em Porto Nacional (TO), a prova de linguagens, redação e ciências humanas acontecerão no mesmo dia que o Enem é aplicado para Pessoas Privativas de Liberdade (PPL), nos dias 11 e 12 de dezembro.

Atualmente, os resultados do vestibular são usados para o ingresso de estudantes em 1.434 instituições educacionais no Brasil e em 35 em Portugal. Neste domingo, 11, segundo e último dia, foram aplicadas as provas de matemática e ciências da natureza, sem ocorrências, informou o Ministério da Educação (MEC).

O ministro da Educação, Rossieli Soares, destacou o trabalho realizado por todos os envolvidos nos estados, escolas e redes de ensino, dizendo que a missão de levar a todos os participantes um exame dinâmico e plural foi cumprida. “A edição deste ano teve a melhor aplicação da história do Enem, um absoluto sucesso. O processo foi totalmente tranquilo, levando-se em conta a proporção de participantes do exame com as ocorrências registradas. Todos que trabalharam e que realizaram as provas estão de parabéns”, afirmou.

Nesta segunda etapa, o Enem registrou 1.610.681 ausências, o que representou 29,2% do total de 5.513.749 inscritos na edição. O número de abstenções, no entanto, considera as ausências nos dois dias de prova, e por isso só será divulgado após a conferência das atas de todos os locais de prova, dos dois dias do exame.

O primeiro domingo registrou o menor percentual de ausentes desde 2009: 24,9%. O segundo dia teve 66 eliminações, sendo 64 por descumprimento de regras do edital, uma por problemas identificados na revista por detector de metal e uma por recusa de coleta do dado biométrico. O Inep também registrou 88 emergências médicas.

Segunda chance

Para a edição de 2018 o Enem estreou um processo sistematizado pelo qual os participantes afetados por problemas logísticos poderão registrar uma ocorrência, no sentido de pleitear a reaplicação do exame. As análises serão feitas pelo Inep e os candidatos interessados terão até 19 deste mês para fazer a solicitação, pela Página do Participante. A ferramenta virtual estará disponível a partir da meia-noite desta segunda-feira, 12. O Inep divulgará os resultados dos pedidos por e-mail ou mensagem de celular (SMS).

“O objetivo deste novo processo é que possamos entender se houve alguma ocorrência de logística, que será confrontada com as atas recolhidas pelos aplicadores e analisada para que, caso seja comprovado o problema, o estudante tenha uma nova oportunidade de fazer as provas. É mais uma forma de comunicação de todos os envolvidos na elaboração e aplicação do Enem com a sociedade, para entender o que aconteceu de forma transparente”, explicou a presidente do Inep, Maria Inês Fini.

VER COMENTÁRIOS
CONTINUAR LENDO
MOSTRAR MAIS