LONGE DE CASA

Histórias e desafios de quem saiu de casa para conquistar a graduação

O Imparcial vai contar a história de três pessoas que abandonaram o conforto da sua casa em busca de um futuro melhor. Uma luta diária, mas de um resultado surpreendente

“Minha mãe me expulsou de casa”

Você certamente já deve ter ouvido aquele ditado: na hora de vencer, vale tudo. Thales Ximenes, de 20 anos, que o diga. Ele veio de um povoado próximo ao município de Itapecuru, chamado Leite, à aproximadamente 117,5 km de São Luís. Com ele veio toda a família em busca de emprego para o sustento. Porém, ele conta que mal imaginava o que a vida reservava. “Aos 18 anos perdi meu pai e infelizmente nunca tive um bom relacionamento com a minha mãe desde a infância, por não concordar com as inúmeras traições no relacionamento que ela fazia com ele. E depois do falecimento as humilhações e brigas aumentaram até o dia que ela me expulsou de casa e ali sozinho me vi abandonado no mundo, me perguntando: e agora o que eu vou fazer?”, relata.

Estudante de educação física na UFMA, Thales vende bombom na praia para suprir suas necessidades

Para sobreviver Thales vende bombom caseiro de chocolate na praia, mas mesmo quando tudo pareceu perdido, Thales manteve seu propósito: nunca desistir dos estudos, mesmo com as inúmeras possibilidades. “Assim que eu sai de casa comecei a cursar educação física na Universidade Federal do Maranhão (UFMA) e quem pensa que por ser uma universidade pública os gastos são poucos está muito enganado. São livros, xerox, passagens e alimentação e como o ensino é integral, as portas pro mercado de trabalho são menores ainda. Porém, hoje em dia só não trabalha quem não quer e para me sustentar todas as noites eu vendendo bombom caseiro na praia e assim vou lutando pelo meu sustento, mas com a certeza de que um dia todo esse sofrimento vai passar”, conclui.

Um filho no meio do caminho. Essa é a história de Larissa Martins, que não conseguiu abandonar a família na cidade de Rosário e todo dia percorre 67km para trabalhar e estudar na capital maranhense.

« Anterior Próxima »3 / 6
VER COMENTÁRIOS
MOSTRAR MAIS