ALTO PREÇO

Mocotó pode sumir da mesa dos maranhenses

O alto preço do alimento, está inviabilizando a sua comercialização nos restaurantes de São Luís.

Foto: Reprodução

O mocotó de boi, prato popular da culinária nordestina, está ameaçado de desaparecer da mesa dos maranhenses,  principalmente dos menos favorecidos. O alto preço das vísceras (bucho e tripas) assim como as patas do boi e demais insumos utilizados no preparo desta  iguaria, está inviabilizando a sua comercialização nos restaurantes de São Luís.

Para o preparo do mocotó de boi, além das vísceras, é necessário acrescentar outros produtos como bacon (toucinho defumado), toucinho salgado, linguiça suína e paio. Para temperar leva tempero seco, pimenta do reino, cominho, folha de louro, alho, cebola, azeitona e  outras especiarias. Tomate, pimentão, cebolinha, cheiro verde e salsinha. Todos estes insumos tiveram seus preços elevados nas quitandas e supermercados.

O vendedor de vísceras  João Batista  Vasconcelos, conhecido como “Quincas”, trabalha no seu boxe, no mercado do Bairro da Liberdade, acha estranho como os produtos que compõem a mocotó de boi tiveram seus preços  majorados em cerca e 110 por cento em menos de seis meses e exemplificou que um fato (aparelho digestivo do boi) que custava 140 reais, foi sofrendo aumentos “homeopáticos” de vinte reais, até chegar ao preço atual 310 reais. A pata do boi que custava 10 reais sofreu aumento de 20 por cento.

Nos restaurantes, os preços da porção de mocotó varia entre 20 e 30 reais, A comerciante  Elizabeth do Carmo, serve no seu restaurante, sempre aos fins de semana, o mocotó de boi. Ela disse que a alta de preços dos produtos que compõem o prato sofreram majorações consecutivas, o que a forçou a passar os custos para o consumidor.  “Mesmo assim, preferi reduzir minha margem de lucro para não perder a clientela, mas não consegui evitar que muitos se afastassem. Então sirvo  a porção por 20 reais, apostando que o consumo de outros produtos pelo freguês possam favorecer o ganho, mesmo que bem pequeno”, disse. Ela acrescentou que, quando não consegue vender todo o seu mocotó, leva pra casa e consome com seus familiares.

A dona de casa Maria de Jesus Silva disse que tinha o hábito de fazer mocotó toda semana para seus familiares em sua casa, na Cidade Operária, onde se reuniam filhos genros, netos e outros, para saborear a iguaria, mas foi obrigada a parar com os eventos, diante da carestia. “Não temos condições, visto tudo que se precisa para fazer um mocotó de qualidade, é necessário que, além das vísceras e das ‘unhas’, se acrescente os temperos que também ficaram caros, o que  ficou fora  do nosso alcance. Hoje, o mocotó ficou um prato muito caro e só dá prá fazer em comemoração de aniversários (risos)”, afirmou.

Origem e benefícios

O Mocotó surgiu na época da escravidão, quando os senhores fazendeiros e proprietários dos escravos, comiam as carnes e jogavam fora os ossos e era destes ossos que os escravos tiravam tudo que precisavam para se manterem fortes para as suas tarefas.

O Mocotó é a parte da canela e pé do Boi, é considerado uma das refeições mais saudáveis e nutritivas do mundo. Nesta parte estão presentes as cartilagens, tendões e o tutano (parte interna do osso) e é justamente nessas partes que estão a maioria das proteínas, vitaminas e minerais, sendo extremamente resistentes, pois fornecem o sustento de todo o corpo do Boi. Atualmente, a  estes são acrescentados o bucho, tripas e demais órgão que compõem o conjunto de vísceras.

É através do caldo de Mocotó que conseguimos obter Colágeno de alto valor biológico. Uma proteína que dá o aspecto gelatinoso ao caldo e para o nosso corpo oferece aminoácidos essenciais com benefícios antienvelhecimentos, melhorando o sistema imunológico, a pele, cabelos, unhas, ossos e juntas. É do tutano que são fornecidas gorduras boas, vitaminas A, D, E e K, que são poderosos antioxidantes, minerais como o zinco que beneficia o sistema nervoso central, também o cálcio, fósforo, magnésio, sódio e potássio.

Muitos ingredientes adicionados ao Mocotó, além de deixar mais gostoso, contribuem para um conjunto ainda mais saudável. O tomate fornece o licopeno, alho e cebola com antioxidantes e suas propriedades medicinais. O pimentão, cebolinha, cheiro verde e o louro fornecem cálcio e outros minerais e vitaminas.

O caldo tem sabor forte e encorpado, é uma ótima fonte de energia sendo recomendado para crianças que são muito ativas e precisam de energia para gastar e reposição de nutrientes. Em muitas pessoas ocorre o aumento da disposição sexual pelo efeito estimulante e fortificante do caldo. É ótimo em dietas de emagrecimento, pois uma xícara do caldo possui poucas calorias. Por ser rico em gorduras e proteínas, a digestão é lenta e isto fornece grande saciedade.

VER COMENTÁRIOS
Esportes
Entretenimento e Cultura
Concursos e Emprego
Polícia
Mais Notícias