NATAL

Chefs dão sete dicas de ouro para descomplicar a ceia de Natal

Quantas horas no forno? Deixa marinando? Descongela dentro ou fora da geladeira? O Imparcial conversa com três chefs que vão te ajudar a ter uma ceia muito mais tranquila

Da esquerda para a direita: Diego Barbosa, Luciano Rosa e Bruno Salomão (Foto: Alan Azevedo / O Imparcial)

Para muitos, a época de festas de fim de ano pode virar um problema na cozinha. Peças de carne de cinco quilos, tempero para diferentes pessoas com diferentes gostos, ingredientes diferentes e caros, combinação do salgado com o doce e muitas, mas muitas sobras de comida.

Pensando em descomplicar a ceia de Natal, a reportagem de O Imparcial conversou com três chefs de cozinha que dão dicas de ouro para você não ter (tantos) problemas enquanto prepara sua tão especial ceia de Natal.

Confira as dicas de Luciano Rosa, chef executivo-corporativo do Grupo Mateus, Bruno Salomão, chef especialista em churrasco, e Diego Barbosa, chef do Biana Bistrô, e não tenha medo da cozinha! Essa é sua chance de brilhar com uma ceia simples e irresistível.

Primeira regra de ouro

Ingredientes caros, preparos refinados, vinhos e champagnes. Se você pensa que isso é o que caracteriza o Natal e faz uma boa ceia, você está errado.

Para Luciano Rosa, “a boa mesa não está no valor financeiro que você dispensa para ela, mas no sentimento que você coloca”. O chef Diego Barbosa concorda: “Comunhão é mais importante que tempero”.

Chef Luciano Rosa (Foto: Alan Azevedo / O Imparcial)

A carne: o bicho de sete-cabeças

Não importa se você vai escolher pernil, tender, chester ou peru. A peça de carne será grande, ou pelo menos maior do que você está acostumado, e o cozimento será lento. Mas não é tão complicado quanto parece.

Luciano Rosa: Todo mundo pode fazer. Para um peru ou pernil grande, você vai ter que ter um longo período de cocção. Quanto maior a peça de carne, menor a temperatura e maior o tempo para cozinhar. Se não a carne assa por fora e fica crua por dentro. A média é que para cada quilo de carne, deixar uma hora no forno.

Bruno Salomão: Primeiro de tudo, é preciso ter paciência. Peças grandes demandas longos períodos de cozimento. Tem que ter timing, tem que estar programado, organizado e começar antes para evitar dor de cabeça. Se vai fazer um peru ou um pernil, é preciso estar com ele descongelado no dia em que vai fazer. Ou seja, você precisa começar a descongelar no dia anterior. E atenção, não descongele fora da geladeira, pois o choque térmico acaba com as fibras da carne. E nem descongele na água, pois você aumenta a proliferação bacteriana em um nível muito alto.

Diego Barbosa: Não tem nada de complicado. O peru é a opção mais “coringa” porque pega tempero mais rápido.

Próxima »1 / 6
VER COMENTÁRIOS
MOSTRAR MAIS