TEATRO

Comédia “Doidas e Santas”, com Cissa Guimarães, é apresentada neste fim de semana em São Luís

Com direção de Ernesto Piccolo, o texto foi livremente inspirado no livro de Martha Medeiros, que é considerada uma das grandes escritoras da atualidade

Foto: Divulgação

“Ninguém é muita areia pra ninguém. Pessoas aparentemente especiais se apaixonam por outras aparentemente banais e isso não é um trote, não é uma pegadinha, não é nada além do que é: um inesperado presente da vida, que todos nós merecemos”. A citação da escritora Martha Medeiros, autora do livro Doidas e Santas, já dá noção da dimensão da peça homônima estrelada por Cissa Guimarães que será apresentada sábado, 13, e domingo, 14, no Teatro Arthur Azevedo, Rua do Sol S/N, Centro.

Com direção de Ernesto Piccolo, o texto foi livremente inspirado no livro de Martha Medeiros, que é considerada uma das grandes escritoras da atualidade. No palco, o público acompanha a trajetória de Beatriz (Cissa Guimarães), uma psicanalista em crise no casamento. Seu marido (Giuseppe Oristânio) é turrão e machista, e não tolera a ideia da separação. Fechando o elenco, atriz Josie Antello que interpreta “as mulheres da vida” de Beatriz: irmã, mãe e filha… O público vivencia alegrias,desilusões,neuroses da vida urbana, o prazer que se esconde no dia a dia, as relações amorosas e o poder transformador da coragem e do afeto.

Em entrevista a O Imparcial, Cissa Guimarães revelou que começou a desenhar o projeto de Doidas e Santas em 2008, há exatos dez anos. A atriz que tinha chegado aos 50 anos, se deu conta de que, há quase 30 anos, uma mulher que chegava aos 50 anos era considerada uma senhorinha e como esse padrão mudou, como houve uma queda de paradigmas e ela estava aquela idade, naquela época sentindo-se uma mulher com tantas coisas a serem feitas e com tantos desejos e uma bagagem muito grande cheia de fracassos, conquistas, vitórias, amores, filhos criados, netos, mas ainda assim pronta para estar no front de outras milhares batalhas a serem travadas, principalmente as dos seus desejos que eram muito latentes. “Me deu uma vontade de falar sobre esse assunto, e eu encontrei justamente isso no texto da Martha Medeiros que é uma contemporânea minha. A fala justamente sobre, que nós mulheres estamos na conquista do nosso espaço, na luta, lindas e cheias de vontade”, disse Cissa Guimarães.

Questionada sobre o por quê da comédia romântica Doidas e Santas ter se tornado um fenômeno de público, uma vez que a mesma já foi vista por mais de 250 mil pessoas em várias cidades brasileiras, Cissa Guimarães foi categórica: “Eu acho que o sucesso dessa peça se deve a identificação que todos sentem quando vão assistir. E eu acho que é isso que mantem viva essa chama do Doidas e Santas. Nós não mudamos nada nesses últimos oito anos. E assim mesmo, todo mundo, inclusive nós, nos emocionamos muito a cada espetáculo”, acrescentou a atriz.

VER COMENTÁRIOS
MOSTRAR MAIS