TRADIÇÃO

Tradicional entrega de doces marca dia de São Cosme e Damião, em São Luís

Apesar de São Cosme e Damião serem celebrados 26 de setembro no catolicismo, é no dia 27, data em que os orixás Ibejis são reverenciados no Candomblé, que a tradição de entregas de doces se perpetua e resiste ao tempo

Crianças e adultos nas ruas com sacolas e mochilas, correndo de lá para cá, batendo de porta em porta, saboreando doces e guloseimas. Este é o clima que marca o Dia de São Cosme e Damião, os irmãos gêmeos nascidos no ano 300 d.C, que se tornaram santos por curar pessoas e animais. Apesar de as figuras serem celebradas 26 de setembro no catolicismo, é no dia 27, data em que os orixás Ibejis são reverenciados no Candomblé, que a tradição de entregas de doces se perpetua e resiste ao tempo.

Antônia Corrêa. (Foto: Rick Ramos)

Na Madre Deus, um dos locais de São Luís mais consagrados quanto às festas populares, desde o início da manhã foi possível observar movimentação, tanto de moradores do próprio bairro, quanto de verdadeiras “caravanas” de regiões vizinhas. É o caso de Antônia Correia, que hoje levou os netos na caça aos doces. “Desde criança, meus antepassados sempre me levaram. Eu levei os filhos, e agora levo os netos”, diz a moradora da Coréia de Baixo, que afirma voltar à infância nestes momentos.

Dona Bibi. (Foto: Rick Ramos)

Dona Antônia, os netos e outras dezenas de crianças esperavam ansiosamente pela entrega das guloseimas na casa de Dona Bibi, na Rua do Norte. Com um sorriso farto e braços abertos, a senhora, que já participa da tradição com a família há 20 anos, nos recebeu, após as crianças entoarem o Pai Nosso em coro – momento que precedeu a entrega dos doces. “A gente se entrosa de uma tal maneira que não consegue mais sair. Todos esses que estão aqui são amigos de muitos anos, que rezam comigo, comungam comigo. Todos são vistos nas orações. Se você tem um problema, eu vou fazer uma oração pra você, e faço”, explica, trazendo à tona o verdadeiro significado da celebração.

São Cosme e Damião

Cosme e Damião eram irmãos gêmeos, médicos, nascidos por volta de 300 d.C na Ásia Menor. Começaram a praticar cura em animais e pessoas, sem cobrar pelos serviços, e, por conta disso, passaram a ser considerados protetores das crianças.  Nas religiões de matriz africana, o Candomblé e a Umbanda, Cosme e Damião são reverenciados como os orixás Ibejis, filhos gêmeos de Xangô e Iansã.

VER COMENTÁRIOS
CONTINUAR LENDO
MOSTRAR MAIS