TAPETE VERMELHO

Casa cheia na pré-estreia de Bullying- Aconteceu comigo

“o mais interessante é que a gente tem um filme com o elenco inteiramente maranhense, essa é a prova mais do que viva que o cinema maranhense, além de muito ativo, está conseguindo produzir coisas de alto nível, de alta qualidade”, diz editor e cinegrafista.

Foto: Lara Souza

Bullying é um problema que já afetou quase todas as famílias. O nome diferente para preconceito dentro das escolas virou roteiro para filme completamente maranhense. A pré-estreia aconteceu nesta sexta-feira, 03, no Cine Praia Grande com presença em peso do elenco. O filme “Bullying- Aconteceu comigo” conta a história de uma escola de classe média e o preconceito gerado em torno de questões social-econômicas.

O enredo retrata grupo que faz uma versão de meninas malvadas, comandadas por Gilda, que acham que podem fazer o que quiserem. Elas acabam cometendo as maiores atrocidades contra uma garota mais pobre e ingênua, a Milana. O grupo de meninas góticas da escola protege a menina de todas as cenas de crueldades que Gilda faz. O filme faz a reflexão desse problema que é tão comum, mas nem sempre é combatido.

A atriz Ana Clara D’Eça que interpreta Andy no filme conta como foi o processo de produção, “por ser um assunto muito pesado, a gente teve todo um preparo para isso, agora é a nossa estreia e todo mundo está com o coração a mil, porque a gente estudou muito, ouviu muitos relatos”.  A atriz Bárbara Matah completa que “esse filme mexe muito com o psicológico da pessoa e é muito importante para as famílias e professores das escolas que eles sabem a realidade da criança que sofre”.

A pré-estreia maranhense encheu a plateia do Cine Praia Grande com elenco de atores de São Luís, imprensa, apoiadores e familiares. Rick Ramos, editor, cinegrafista e assistente de fotografia, ressalta que “o mais interessante é que a gente tem um filme com o elenco inteiramente maranhense, essa é a prova mais do que viva que o cinema maranhense, além de muito ativo, está conseguindo produzir coisas de alto nível, de alta qualidade e o resultado é o que as pessoas vão poder assistir nesse filme”. Foi uma festa de cinema maranhense.

O roteirista Marco Aurélio D’Eça ressaltou a importância da produção. “O tema é muito importante, é o que se debate no mundo nos últimos anos. O filme se propõe a ser mais uma forma de contribuição para esse debate. É um filme para a família ver junto, porque toda família sofre algum tipo de bullying, algum tipo de problema relacionado ao preconceito, opressão e a omissão das escolas”.

Foto: Lara Souza

A Mini Miss Brasil e digital influencer Crystal Freire, estava na pré-estreia vestida com um look com referência à Charles Chapplin. A atriz estava muito ansiosa para assistir pela primeira vez o primeiro filme da sua jovem carreira, que foi convidada para fazer uma participação especial. “É uma emoção muito grande para uma mãe, ver uma filhinha tão pequena, de 5 anos, já com uma carreira assim tão consolidada como a dela. O filme aborda um tema muito polêmico, atual e também importante porque nós vivemos isso dentro das escolas. Eu estou muito satisfeita que a Crystal tenha participado de um projeto que vai trazer contribuição social” afirmou Patrícia Freire, mãe da mini diva.

VER COMENTÁRIOS
CONTINUAR LENDO
MOSTRAR MAIS