VAQUINHA MUSICAL

Artista maranhense pede apoio para produção de vídeo clipe

A música ‘Sarrar’ é resultado de mais um artista LGBTQ+ em parceria com outros grupos e movimentos sociais da capital maranhense

Reprodução

Com a ascensão da cantora maranhense e drag Pabllo Vittar, vários artistas maranhenses ganham destaque no meio musical emplacando sucessos e garantindo visibilidade. Até o ano passado, a drag queen mais conhecida do mundo era RuPaul, de 56 anos. Além de Vittar outros artistas LGBTQ+ maranhenses estão conquistando o seu espaço no cenário internacional. Os nomes mais requisitados no momento são as drags queens e DJs Butantan, Eudominica, Wan Lo e Frimes e os DJs Only Fuego e Enme Paixão.

Enme Paixão, popularmente conhecido como Enme, é publicitário e começou a carreira atuando no ramo de produção de eventos em São Luís. Desde o ano passado o artista vem emplacando sucesso com seus trabalhos musicais. A primeira música do artista se chama “Revis”, música pensada na tradicional sexta-feira do Projeto Reviver, na Praia Grande.
Na letra da música “Tô descendo pro revis afim de sarrar”, resultou na segunda obra como conta o artista: “foi por esse último verbo que encravou na minha cabeça e não saiu de jeito nenhum até surgir à música “Sarrar”, que também está sob a produção de Bruno Rafael, mais conhecido como Brunoso. A música as pessoas associam à algo malicioso, mas o sentido real dela é de apenas Sarrar – balançar o esqueleto e quebrar o quadril”, contou Enme Paixão.

Porém nem tudo são flores, nos últimos meses o artista marenhense tem juntado recursos e apoio para a produção do vídeo clipe da música ‘Sarrar’ juntamente com uma equipe de voluntários, amigos, alunos e ex alunos da Escola de Cinema do Maranhão – IEMA. Para isso, uma campanha foi lançada na plataforma Catarse, de modo a angariar recursos para a realização do clipe. Para apoiar a realização do projeto, basta acessar o link e escolher um valor de contribuição.

Em entrevista ao O Imparcial Enme Paixão afirma que não é o fato de ser um membro da comunidade LGBTQ+ que dificulta o apoio ao vídeo: “na verdade a classe LGBTQ quem está me sustentando. Se torna difícil apenas fazer com que as pessoas levem a serio o meu trabalho por ser LGBT. Nosso público é grande, nossa força é muito intensa e são esses números que fazem os investidores apoiarem”, relatou

Quanto falta

O artista usou a plataforma Cartase para conseguir ajuda de fãs, amigos e colaboradores interessados em incentivar a gravação do vídeo clipe de Enme. Atualmente, o artista já arrecadou 21% do valor pretendido. De R$ 3.500, o maranhense já tem cerca de mais de R$ 700. Com dois dias para acabar a campanha, ainda não sabe se a campanha terá prorrogação.

VER COMENTÁRIOS
CONTINUAR LENDO
MOSTRAR MAIS