PROJETO "DIZ A LENDA"

Lendas maranhenses serão contadas em Paper Toys

O propósito do projeto foi de difundir algumas lendas maranhenses para o público infantil que talvez ainda nem conheça essas histórias, de uma forma criativa

Foto: Reprodução

Se você conhece algumas das lendas ou das misteriosas histórias maranhenses que atiçam o nosso imaginário, você deve ter tido essa experiência por meio de livros, ilustrações, histórias em quadrinhos, ou até mesmo visto em desenho animados, mas em paper toys, deverá ser a primeira vez.

Quem nunca ouviu falar em Ana Jansen? Poderosa, rica e cruel. Era conhecida pelas maldades e crueldades com seus escravos. Após sua morte, diz a lenda, foi condenada a vagar pelas ruas do centro de São Luís em uma carruagem puxada por cavalos com fogo no lugar da cabeça e conduzida por um escravo decapitado. Pois personagens como ela, que povoam as mentes dos maranhenses, a serpente encantada, a manguda, o Rei Touro Dom Sebastião, Pai Francisco e Mãe Catirina, e, por que não, a gangue da bota preta viraram brinquedos de papel. Essas foram as seis lendas maranhenses escolhidas para fazer parte do projeto e essas histórias serão conhecidas no próximo dia 28, quando a turma do Éguas! Paper Toy vai lançar, às 19h, no Feijão de Corda (Olho d’Água), o projeto “Diz a Lenda – Educação e Cultura nas Escolas”.

O propósito do projeto foi de difundir algumas lendas maranhenses para o público infantil que talvez ainda nem conheça essas histórias, de uma forma criativa. Ao mesmo tempo, é inclusivo, pois possibilita que deficientes visuais possam também ter acesso às lendas com os livros em braile, e em fonte aumentada.

Um sonho que nasceu de uma boa ideia, de João Manoel Santos e Roouse Santos, virou papel, neste caso, literalmente. Foram sete meses de execução até chegar às publicações que serão levadas aos alunos das escolas públicas na região metropolitana de São Luís. O casal percebeu a necessidade de manter vivo o desejo em divulgar as mais ricas histórias do Maranhão.

“Por meio de histórias bem conhecidas do imaginário popular do estado, vamos mostrar que é possível valorizar o que é nosso, aprender e ensinar. No Éguas!, o paper toy virou mais que um simples boneco. Por meio dele, a gente retrata com muito orgulho um pouquinho da linda e vasta cultura maranhense. Nosso desejo é de resgatar, preservar e recontar as lendas maranhenses, unindo design e cultura, de uma forma criativa, inovadora, lúdica e atual. Difundir essas histórias em nosso estado e para além das fronteiras do Maranhão, levando um pouco da nossa cultura”, explicou o designer João Santos.

De acordo com Roouse Santos, essas seis lendas maranhenses serão trabalhadas com estudantes de escolas da rede pública de São Luís, a partir do dia 5 de março. “Começaremos as apresentações nas escolas e locais contemplados pelo projeto. Estudantes de escolas públicas e associações de pessoas com deficiência visual e biblioteca pública receberão gratuitamente o material. Temos uma lista estabelecida a exemplo de instituições como Cintra, Escola Barbosa de Godois, Escola de Cegos, entre outras”.

O projeto

“Diz a Lenda” é uma viagem cultural, com foco na união da literatura e do teatro para estimular e transmitir ao público infantil o fortalecimento da cultura popular do Maranhão. Além de terem acesso à cultura maranhense, os alunos serão estimulados a desenvolver habilidades motoras a partir da construção de bonecos de papel com direcionamento ao tema cultural.

Em cada edição do projeto, os alunos receberão os paper toys da coleção “Diz a Lenda”. Com auxílio de monitores, os próprios estudantes irão participar de uma oficina e aprender a montar os personagens, que serão utilizados, posteriormente, na contação de histórias.

“Transformamos histórias em paper toys. Então, praticamente qualquer coisa pode virar um boneco para nós. E as lendas maranhenses são uma verdadeira inspiração da nossa terra, do desejo de ver união entre design e folclore de maneira criativa e inovadora”, comentou Roouse Santos.
O projeto tem patrocínio da Cemar, por meio da Lei Estadual de Incentivo à Cultura.

Entrevista com a Éguas!Paper Toy

O Imparcial – De onde vem a inspiração para fazer os bonecos?

Éguas!Paper Toy – Transformamos histórias em paper toys. Então, praticamente qualquer coisa pode virar um boneco para gente. Fazemos pessoas, mascotes de empresas, personagens de séries, livros e histórias em quadrinhos. Topamos qualquer desafio. E as lendas maranhenses foi uma inspiração da nossa terra, do desejo de ver união entre design e folclore de maneira criativa e inovadora.

O Imparcial – Por que a escolha de brinquedos de papel?
Éguas!Paper Toy – O papel é um material barato e acessível a todos, fácil de manipular (cortar, dobrar e colar). O boneco vai planificado e se torna tridimensional depois da montagem, além das vantagens em transporte e armazenamento.

O Imparcial – Como são confeccionados os seus bonecos?
Éguas!Paper Toy – No caso da coleção “Diz a Lenda”, o processo de criação inicia-se na pesquisa das histórias em impressos e relatos orais. Então iniciamos os primeiros desenhos e modelagem do boneco. Fazendo testes e mais testes, recortando, montando e remontando. Depois finalizamos, aprimorando cores, dobras e layout. Por fim, fazemos a impressão e embalagem para distribuição/venda.

VER COMENTÁRIOS
CONTINUAR LENDO
MOSTRAR MAIS