CAIA NA FOLIA

Só Safados, o bloco que virou sensação do carnaval

De uma reunião de amigos ao bloco de rua mais animado da temporada pré-carnavalesca de São Luís, o Só Safados virou o point de encontro dos foliões da Ilha

Foto: Reprodução

Considerado a sensação do pré-carnaval de São Luís, o Bloco Só Safados é só alegria. A charanga carnavalesca mais charmosa da Ilha nasceu de uma reunião de amigos em 2008, após a bienal de percurssão, em Fortaleza, no Ceará, que juntaram-se para brincar o carnaval. Formado no início por artistas, produtores culturais, batuqueiros, e músicos de diversos segmentos, tomou uma dimensão tão grande que os próprios organizadores surpreenderam-se com a participação de uma multidão que caiu literalmente na folia.

De acordo Cristiane Lima, uma das coordenadoras do Só Safados, foi uma grata surpresa essa procura pelo bloco, pois, desde que a brincadeira começou, a única intenção sempre foi brincar o carnaval de maneira segura e saudável. “No ínicio, o bloco era só uns ‘gatos pingados’ fantasiados que se juntaram para se divertir. A gente saía da cachaçaria do Batista, que fica próximo ao Convento das Mercês, no Desterro, e descíamos em cortejo pelas ruas, becos e vielas do Centro Histórico, na Praia Grande, até o Laborarte, onde participávamos da festa Folia Laborarte, e virou esta surpresa”, disse Cristiane Lima.

Cristiane Lima ressaltou que os integrantes nunca esperavam por esse sucesso e que, com esta “explosão”, aumentou também a responsabilidade, pois hoje o bloco chega a reunir cerca de 10 mil pessoas em uma única saída, e que para isso é necessário toda uma estrutura que envolve segurança, banheiros químicos, disciplinamento de ambulantes e outras questões que vão muito além da alegria das marchinhas da brincadeira. “Uma das estratégias que recorremos é não divulgarmos antecipadamente de onde o bloco vai sair para evitar tumulto ou qualquer coisa que possa prejudicar o folião. Só divulgamos a saída pelas redes sociais no dia, porque temos medo que algo possa acontecer. É muita responsabilidade”, contou Cristiane Lima.

Foto: Honório Moreira

Para quem desconhece, o Bloco Só Safados, além de levar a bandeira da alegria e irreverência, tem também uma responsabilidade social durante o pré-carnaval. Contra todos os tipos de preconceitos, os organizadores do bloco fazem questão de abraçar causas como o feminismo, a luta contra o machismo, a homofobia, a pedofilia e outros tipos de crimes como forma de alerta para a sociedade. “Não aceitamos rótulos e preconceitos ou qualquer tipo de atitude que possa prejudicar o próximo. Também usamos o bloco para conscientizar as pessoas sobre outras questões como não fazer xixi no patrimônio público, sexo com segurança, sobre dirigir embriagado, e por aí vai. Acreditamos que dessa forma estamos contribuindo para uma sociedade mais justa e humana”, explicou Tamara Marques, uma das organizadoras da brincadeira.

Assim como todo bloco independente que surge, o Só Safados também tem suas dificuldades. Segundo Raimundo Matos, que também faz parte da organização da brincadeira, o bloco sempre contou com a ajuda dos próprios integrantes, que fazem a tradicional “vaquinha” para poder pagar os músicos e outros custos da brincadeira. “Ninguém pensa que colocar uma brincadeira na rua tem seus custos. Por isso que a gente sempre faz um baile fechado para que a gente possa angariar recursos para que possamos manter a brincadeira. Desde o ano passado, começamos a integrar a programação do governo do estado. Agora em 2018, vamos fazer duas apresentações no carnaval. A primeira dia 13 e a segunda no dia 17 de fevereiro, na Vila Gracinha, a partir das 21h, onde mais uma vez vamos mostrar o verdadeiro espírito carnavalesco por meio de nossas músicas”, acrescentou Raimundo Matos.

O músico lembrou, durante a entrevista a O Imparcial, que um dos diferenciais do bloco são as músicas autorais, que são composta pelos próprios integrantes a partir de histórias que viveram ou que alguém contou e acabou se transformando em música. “As músicas vão surgindo naturalmente, durante as nossas reuniões, onde a gente vai lembrando das nossas molecagens, de nossas conversas e aí a coisa vai fluindo. Quando menos se espera, nasce uma música”, disse Raimundo Matos.

Honório Moreira

As músicas do Bloco Só Safados são cantadas pelas cantoras Fernanda Preta, Tamara Marques e os cantores Leandro Maramaldo e Valda Lino, contando sempre com a presença de grandes parceiros como a cantora Rosa Reis, Naty Maciel, Patativa, Doda, Robinho Serra e outros artistas que fazem parte da ala de compositores da brincadeira.

MOSTRAR MAIS