Reprodução

O Tambor de Crioula, arte e dança que tem sua origem na África e foi trazida para o Brasil, especificamente para o Maranhão, por meio dos escravos africanos que aqui chegaram, tem ganhado holofotes e é destaque nas festas juninas deste ano no São João de Todos, promovido pelo Governo do Maranhão, por meio da Secretaria de Cultura e Turismo (Sectur).

Congregando dança, liberdade, alegria e movimentos rápidos, o ritmo de louvor a São Benedito – santo católico homenageado pelos grupos de tambor, já tem seu espaço cativo no coração dos maranhenses e dos demais cidadãos do mundo. O local onde esta arte reina durante o período junino é o centro da cidade, seja no Canto da Cultura ou no arraial da praça Maria Aragão.

Quem confirma a beleza da nossa cultura é a corretora de imóveis Fernanda Valverde, de 36 anos, e que veio passear em São Luís. “É lindo demais! O ritmo me envolve, a dança me fascina. Estou apaixonada. Fora que eu fui muito bem recebida aqui em São Luís. Estou amando a cidade”, declara.

Além dela, a maranhense Geyse Ribeiro diz amar a expressão folclórica. “Eu tenho uma relação muito próxima com o Tambor de Crioula porque tenho uma prima que dança. Amo essa dança. Acredito que é uma das coisas que temos de mais bonito da nossa cultura popular. Fico feliz do destaque que é dado para esta arte tão importante e tão tradicional, aqui no Centro da cidade”, encerra.

Quem dança também carrega consigo a satisfação de dar continuidade a essa cultura que atravessa gerações. Como é o caso de Teresa Cantanhede, 29 anos. Ela revela que desde a infância dança Tambor de Crioula e conta que é uma herança de família. “Na minha família eu e a minha avó somos coreiras oficiais. Dançar essa arte linda me dá muita satisfação e me traz muita felicidade. Eu danço desde os meus 12 anos de idade”, afirma.

As apresentações do Tambor de Crioula senguem durante todos os dias de festa junina, período que teve início no dia 1º de junho e  vai até o dia 2 de julho. Além destes espaços, após o período junino, a Secretaria de Cultura e Turismo tornará permanente as apresentações do Tambor de Crioula na praça da Faustina, no Centro Histórico da capital maranhense. O projeto tem o nome de “Quarta do Tambor” e reunirá grupos através dos editais de ocupação lançados pela Sectur.