O vídeo gravado na última terça-feira (14) por uma câmera de segurança mostra a enfermeira Giselle Atan atropelando dois cachorros na rua de sua casa e saindo do local logo em seguida. O caso tomou dimensões nacionais ontem (16) nas redes sociais, chamando atenção de ONGs e ativistas, como Luisa Mell. Giselle não se pronunciou até a manhã de hoje, quando seu advogado soltou uma nota em sua defesa.

Veja Também

Na nota, o advogado Rafael Macena afirma que a mulher não teve intenção de atropelar os cachorros, somente afastá-los do local:

Giselle Atan, conforme depoimento prestado na tarde do dia 16 de agosto do presente ano na Delegacia do Meio Ambiente, após espontânea apresentação à autoridade policial, afirma que não teve em momento algum a intenção de atropelar os referidos animais e que sua única intenção era de afastá-los do local tendo em vista já terem atacado outros cachorros e pessoas que ali estavam, consoante restará provado durante as investigações.

Em seguida, o advogado alega que, ao contrário do que se dizia nas redes sociais, Giselle nunca havia maltratado nenhum animal anteriormente.

Ao contrário das informações falsas que vêm sendo divulgadas em diversas redes sociais, Giselle Atan jamais foi acusada ou processada por maus tratos aos animais, tendo sido liberada após prestar depoimento, bem como responderá em liberdade ao processo, conforme já informado pela delegada Caroliny Fernanda que conduz o caso.

Na conclusão, a defesa lamenta que a sociedade tenha condenado Giselle de forma injusta, não dando a ela chance de se defender.

Depois da repercussão, a enfermeira foi afastada de seu emprego.

Segue a nota na íntegra:

Nota à imprensa.

A defesa de Giselle Atan, vem, a respeito dos vídeos amplamente divulgados em várias redes sociais e às matérias veiculadas nos diversos meios jornalísticos explanar que: Giselle Atan, conforme depoimento prestado na tarde do dia 16 de agosto do presente ano na Delegacia do Meio Ambiente, após espontânea apresentação à autoridade policial, afirma que não teve em momento algum a intenção de atropelar os referidos animais e que sua única intenção era de afastá-los do local tendo em vista já terem atacado outros cachorros e pessoas que ali estavam, consoante restará provado durante as investigações.

Afirma também que, está colaborando de todas as formas para o bom deslinde do termo circunstanciado de ocorrência instaurado e espera que a verdade dos fatos venha à tona ao fim do processo investigatório. Continuando, esclarece que jamais maltratou qualquer animal, quer seu, quer de terceiros, que possui animais de estimação e sempre os tratou de forma respeitosa.

Ao contrário das informações falsas que vêm sendo divulgadas em diversas redes sociais, Giselle Atan jamais foi acusada ou processada por maus tratos aos animais, tendo sido liberada após prestar depoimento, bem como responderá em liberdade ao processo, conforme já informado pela delegada Caroliny Fernanda que conduz o caso.

Por fim, lamenta profundamente o ocorrido e pede a toda a sociedade que não a condene de forma injusta, precipitada e sem qualquer direito à defesa por um ato que não passou de um infeliz acidente e que está trazendo a ela e sua família um profundo abalo.

São Luís, 17 de agosto de 2018.

Rafael Macena Advogado.