O bebê de dois meses que morreu após dar entrada no início deste mês no Hospital Geral de Presidente Dutra, com hematomas e ossos quebrados, foi também vítima de abusos sexuais, segundo laudo médico e depoimento de uma testemunha. Os suspeitos de cometer o crime são os próprios pais da criança: a mãe, de 18, e o pai, de 17.

A informação foi confirmada pelo Delegado João Marcelino. “Na descrição do laudo tem uma lesão nos órgãos sexuais. Tem uma testemunha dizendo que visualizou o pai colocando um cotonete no órgão sexual da criança e girando, e a criança chorando muito“, informou.

A mãe está no presídio de Timon. O pai, menor de idade, foi transferido para um Centro de Juventude de São Luís

Segundo as investigações, os pais são usuários de drogas. Ao levar a criança já muito debilitada ao hospital, no dia 2 de julho, o casal contou várias versões ao médico: uma, de que o bebê havia caído do berço; outra, da cama; e por último, que ela havia se engasgado no banho. A polícia foi acionada em seguida.

Todas as versões foram descartadas tanto pelo médico, quanto pela polícia. A criança, que chegou ao hospital em estado gravíssimo, tinha a clavícula e os ossos das pernas quebrados.

A mãe da criança, identificada como Natália Carneiro de Oliveira, foi encaminhada ao presídio de Timon. Já o pai, menor de idade, foi transferido para um Centro de Juventude em São Luís.