O homem acusado de desferir golpes de facão e matar o enteado de apenas nove meses, no município de Governador Edison Lobão, na manhã de segunda-feira, 30, prestou depoimento na manhã de hoje e confessou a autoria do crime. Francielson Gomes Pereira, de 18 anos, não aceitou o término do relacionamento com a mãe da criança, de 14. Para a polícia, o criminoso planejava também matar a ex-companheira.

De acordo com informações policiais, a mãe saiu de casa no horário do almoço, deixando o bebê com o acusado. Ao retornar, se deparou com o filho caído no chão, ensanguentado. “Ele disse que agiu por impulso. Ele conseguiu fazer a criança dormir, e impulsivamente matou a criança”, informou o Delegado Eduardo Galvão, de Imperatriz. Segundo apurado pelos oficiais, Francielson tirou a criança da rede, colocou-a na cama e passou a desferir golpes de facão, até que tivesse certeza que ela estava morta.

Sem arrependimento

Francielson Gomes Pereira: 18 anos, sem passagens pela polícia. Não trabalhava e não era usuário de álcool ou drogas. Após assassinar o enteado, não demonstrou arrependimento algum: ao contrário, esperou pela polícia sentado em frente à casa onde o crime aconteceu. “Ele veio de lá [do local do crime] a Imperatriz sem dizer uma palavra. Só falou porque estava na presença da mãe dele, que colocou pressão”, informou o Delegado.

A polícia trabalha com a hipótese de que Francielson pretendia, além de matar a criança, assassinar a ex-companheira, pois ao lado dele foi encontrado um punhal. “Ele matou a criança, e esperava que a mãe se aproximasse do corpo”, disse o Delegado. A partir daí, a ideia era apunhalar a adolescente pelas costas – plano frustrado, já que a adolescente saiu correndo ao perceber que o filho estava morto.

Francielson responderá por homicídio triplamente qualificado. O assassino confesso do bebê de nove meses foi encaminhado à Unidade Prisional de Ressocialização de Imperatriz.

Separação acertada

Em depoimento à polícia, a mãe da criança informou que o casal costumava brigar muito. A separação, no entanto, já estava acertada: ela iria para a cidade natal, Itinga do Maranhão, a 154 km de Governador Edison Lobão, assim terminando o relacionamento com o autor do crime.

O pai do bebê ainda não foi identificado. Caso ele seja maior de idade, deverá responder por estupro de vulnerável, uma vez que a mãe da criança engravidou antes dos 14 anos.