RECONHECIMENTO

Baiana de 22 anos vence prêmio da ONU com criação de filtro sustentável

Atualmente 53 famílias, cerca de 265 pessoas, estão sendo beneficiadas com a invençã

Reprodução

A baiana Anna Luísa Beserra, de 22 anos, foi a primeira brasileira a vencer um prêmio da ONU voltado a jovens com propostas para o meio ambiente, com a criação do Aqualuz, um purificador de água que usa os raios solares para matar bactérias e torná-la potável. A tecnologia de baixo custo já foi testada e está em fase de produto. Atualmente 53 famílias, cerca de 265 pessoas, estão sendo beneficiadas com a invenção.

Anna Luísa é recém-formada em biotecnologia pela Universidade Federal da Bahia (UFBA), e agora toca a sua startup Safe Drinking Water for All (SWD) com o Aqualuz. Ela já foi reconhecida em olimpíadas de física, biologia, astronomia até premiações ligadas à inovação.

A tecnologia do Aqualuz foi criada para purificar água de cisternas, que armazenam a água de chuva. Ele é um reservatório criado com uma superfície de vidro que funciona acoplado à cisterna. A água armazenada nela é bombeada até o dispositivo e o processo de limpeza acontece automaticamente ao receber os raios solares. Não são usadas placas para a captação da energia do sol. A passagem da luz do sol é direta na água. A combinação da radiação com o sistema de calor consegue matar as bactérias.

O morador pode então pegar a água com a ajuda de uma torneira integrada ao reservatório. Quem usa diz que o acesso à água limpa ficou mais fácil. A manutenção também. Com a tecnologia, a água demora de duas a seis horas para ficar potável. Outras soluções demoram de seis a até 48 horas.

Agora que terminou a faculdade, Beserra se dedica em tempo integral à sua startup. Sua invenção está na décima versão e seu objetivo é que órgãos governamentais possam usá-la para ajudar os brasileiros que vivem em regiões de seca, principalmente no semiárido nordestino.

VER COMENTÁRIOS
Concursos e Emprego
Polícia
Você, Gastrô!
Entretenimento e Cultura
Mais Notícias