Esplanada

Vídeo: Desfile de 7 de Setembro leva centenas à Esplanada dos Ministérios

Previsto para começar às 9h, a expectativa é de que compareçam cerca de 20 mil pessoas na Esplanada e, a partir de 8h30, as arquibancadas já estavam lotadas

Reprodução

Desfile de 7 de Setembro reúne pessoas de todas as idades para comemorar a independência do Brasil

Antes mesmo de começar, a animação do público era grande para o desfile em comemoração ao 7 de Setembro, neste sábado (7/9). Previsto para começar às 9h, a expectativa é de que compareçam cerca de 20 mil pessoas na Esplanada e, a partir de 8h30, as arquibancadas já estavam lotadas. Famílias vestidas com as cores da bandeira, de branco, de preto e azul colorem o gramado.

Assim que fez sua primeira aparição, o presidente da República Jair Bolsonaro foi aplaudido em certos pontos da arquibancada ao som da palavra “mito”. Ele chegou em carro aberto acompanhando do filho, Carlos Bolsonaro.
Na tribuna presidencial já estavam a primeira-dama, Michele Bolsonaro, o vice-presidente da República, Hamilton Mourão, o presidente do Senado Davi Alcolumbre (DEM/AP), o presidente em exercício da Câmara dos Deputados, Marcos Pereira (Republicanos/SP) e o governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (DEM). O apresentador de TV, Silvio Santos, participa da festa e cantou o hino ao lado do presidente e do governador do DF.

O presidente surpreendeu a todos ao quebrar o protocolo. No fim do desfile aéreo ele quebrou o protocolo e desceu da tribuna presidencial. Rodeado de seguranças, o chefe do Executivo passou em frente às arquibancadas cumprimentando o público. No momento em andava pela via, o povo aplaudia e gritava “Bolsonaro, cadê você”.

Presidente Jair Bolsonaro chega e, parte da platéia o recebe com gritos de “mito”(foto: Ed Alves/CB/D.A Press)

O funcionário público, Marcelo Elias, 49 anos, ficou três anos sem ir ao desfile do 7 de Setembro. Porém, esse ano ele decidiu retomar a tradição. “Fiquei esse tempo todo sem vir por falta de motivação”, conta. “Estou esperando por um desfile de sempre, que represente o retorno ao civismo patriótico do País. A gente acredita que vai estar com a parte civico-militar mais bonita e incrementada esse ano”. 

Já a professora aposentada de 63 anos, que preferiu ser chamada de “Betinha”, mora em São Paulo e veio a Brasília apenas para acompanhar a atração. “Só fui a desfiles na minha cidade, mas não era nada como em Brasília. É totalmente diferente. Aqui tem mais patriotismo, é tudo maravilhoso”, diz Betinha. 
Ela tem expectativas de ver o presidente da república Jair Bolsonaro desfilar. “Eu sou fã dele (Bolsonaro), graças a Deus o nosso país está mudando e temos muitas esperanças. É muita emoção, a gente tem que apoiar essa nova fase”, afirma. 

Público se espreme no alambrado e sobe em árvores para ficar mais próximo de onde ocorre o desfile(foto: Ingrid Soares/CB/D.A Press)

Como as arquibancadas já estão totalmente ocupadas, o público está sendo orientado a ficar nos gramados. Algumas áreas foram definidas como “privadas”, precisando de credencial para serem acessadas. Acompanhado da mulher e da filha de 3 anos, o publicitário Victor Mâcedo, 35, reclama da organização do evento. “Eu vim de São Sebastião e acho um absurdo precisar de credencial para assistir um desfile público. Este evento deveria ser um evento familiar. Já começa errado porque os militares não sabem passar informações precisas. Eu estou andando em círculos com a menina de colo e até agora não sei se vou conseguir assistir ao desfile”, reclama. 

Enquanto muitos presentes usavam as cores verde e amarelo, um pedido do presidente, Amanda Casé, 32 anos, preferiu vestir uma blusa laranja para a atração. Ela conta que, por ser estudante de doutorado da Universidade de Brasília (UnB), não está satisfeita com algumas políticas do governo Bolsonaro, sobretudo na área de educação. “Mesmo assim, eu vim ao desfile porque sou brasileira e tenho orgulho do meu país. Mesmo sem concordar com as políticas atuais, eu vim pelo Brasil”, reforça Amanda, que frequenta o desfile há 3 anos ao lado do marido e filho. “A maior diferença deste ano para os anteriores é a questão da estrutura, mas para a gente conseguir entrar aqui, foi bem mais difícil”, explica a doutoranda. 

Escolas

Neste sábado, desfilam 4,5 mil pessoas, sendo 3 mil militares das Forças Armadas. A Secretaria de Segurança Pública do DF informou que não vai divulgar o número de pessoas presentes este ano. No desfile cívico escolar do pelotão de estudantes do CED 7 de Ceilândia, a primeira dama, Michelle Bolsonaro, foi citada, em referência ao local de nascimento dela. Ao todo, desfilaram estudantes do CEF 619 de Samambaia, do CEF 02 do Guará, do CED 01 da Estrutural, do CED 03 de Sobradinho, do CEF 11 do Gama e do CED 308 do Recanto das Emas. 

Atendimentos bombeiros 

Até 11h, o  Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal  (CBMDF) realizou quatro atendimentos. Uma mulher grávida caiu e precisou ser levada para o Hospital Regional da Asa Norte. Outras duas mulheres, uma dela idosa, teve mal súbito e não precisaram de transporte. E o quarto caso foi de uma idosa que caiu, mas não ficou ferida.

VER COMENTÁRIOS
Concursos e Emprego
Polícia
Você, Gastrô!
Entretenimento e Cultura
Mais Notícias