ECONOMIA

Dino enfrentará Paulo Guedes e reforma da Previdência em janeiro

O governador reeleito pelo Maranhão, junto aos outros chefes de estado do país, se reunirão com o futuro ministro da Economia para debater propostas

Paulo Guedes, futuro ministro da Economia. (Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)

Em janeiro, o futuro ministro da Economia, Paulo Guedes, se reunirá com governadores eleitos e reeleitos – inclusive Flávio Dino (PCdoB), do Maranhão, contrário às reformas antipopulares do banqueiro, como a da Previdência. Presentes na reunião também estarão o secretário do Tesouro Nacional, Mansueto Almeida, e o secretário especial da Previdência, Rogério Marinho.

Em contrapartida dos governadores do Nordeste do PCdoB e PT, em fevereiro do ano que vem haverá uma mobilização dos chefes de estado em defesa da reforma da Previdência. Segundo Mansueto, ela tem sido muito debatida no país e as diversas propostas estão convergindo para alteração na idade mínima, definição de período de transição e regras igualitárias entre o setor privado e o público.

Dino, Guedes e a Previdência

No dia 14 de novembro deste ano, o governador do Piauí Wellington Dias (PT) entregou ao presidente eleito Jair Bolsonaro uma carta assinada por Dino e outros governadores do Nordeste do PT e PCdoB que mostrava o posicionamento contrário à reforma da Previdência. Anteriormente, o governador já havia criticado a proposta.

Wellington Dias (PT-PI) entrega carta de governadores do Nordeste contra reforma da Previdência. (Foto: Reprodução)

Em entrevista ao Le Monde no dia 9 do mesmo mês, Dino afirmou que “se o programa da dupla Bolsonaro/Guedes tivesse sido apresentado ele teria perdido a eleição”. “A ideia da reforma da previdência de Paulo Guedes e Bolsonaro é o mesmo sistema que o Pinochet aplicou no Chile. (…) é um modelo que tem tudo haver com esse sistema a favor da casa grande“, afirma o pecedebista.

VER COMENTÁRIOS
MOSTRAR MAIS