Reprodução

Durante a semana passada, a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) divulgou uma carta destinada ao Ministro de Estado e Educação, Rossieli Silva, afirmando que por conta dos cortes orçamentários para a instituição, seriam suspensas todas as bolsas da pós-graduação. O corte afetaria mais de 93 mil discentes de todo o Brasil que estão no mestrado, doutorado e pós-doutorado. Além da suspensão das bolsas do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (Pibid) afetando 105 mil bolsistas da formação de profissionais para educação básica.

O presidente do Conselho Superior da Capes, Abílio Baeta Neves, afirma na carta que “foi repassado à Capes um teto limitando seu orçamento para 2019 que representa um corte significativo em relação ao próprio orçamento de 2018, fixando um patamar muito inferior ao estabelecido pela Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO)”. A carta circulou nas redes sociais e serviços de mensagens instantâneas e provocou mobilização nas comunidades científica, tecnológica e acadêmica.

Na noite desta sexta-feira, 3, o Ministério da Educação (MEC) informou, por meio de nota, que o pagamento das bolsas da Capes não será suspenso. Diz ainda que “a valorização da educação é uma das prioridades do governo federal que, em dois anos, adotou medidas importantes para o setor, como a Lei do Novo Ensino Médio e a homologação da Base Nacional Comum Curricular da educação infantil e do ensino fundamental”.