Agente penitenciário

Suposto assassino teria atirado de costas

Idael Melo, suspeito de ter atirado e matado agente penitenciário Jorge Luís Lobo da Cunha, diz que atirou sem olhar para a vítima

O caso do assassinato do agente penitenciário Jorge Luís Lobo da Cunha, de 38 anos, está praticamente elucidado, principalmente por conta da prisão do principal suspeito de ter efetuado os tiros que mataram a vítima. O crime foi registrado no fim da tarde do último domingo (9), na Avenida Litorânea. A vítima estava acompanhada de sua esposa e um casal de amigos.

Idael Melo Roxo, que seria o atirador, foi detido ao tentar fugir de bicicleta logo após o ocorrido. Com ele, foram encontradas duas armas de fogo, um revólver calibre 38 e um 32, este último escondido em suas partes íntimas.

A versão apresentada por Idael foi a de que ele estava jogando futebol na areia, quando uma mulher, que ele não conhece, o informou de que quatro homens estavam aguardando para matá-lo. Para se defender, fez uma ligação, a alguém que ele não identificou, e solicitou duas armas. Quando estava saindo da praia, ouviu disparos e então correu e atirou de costas. Estes disparos teriam atingido o agente penitenciário, que morreu no local. O delegado Leonardo Carvalho, da Superintendência de Homicídios, disse que testemunhas não confirmam essa versão de Idael.

O suspeito já tinha três passagens pela polícia. Duas por roubo e uma por porte ilegal de arma de fogo. Idael Melo Roxo foi autuado por homicídio qualificado e porte ilegal de arma de fogo por estar com duas armas.

VER COMENTÁRIOS
MOSTRAR MAIS