DICAS

Aprenda como acabar com a caspa

Descubra quais são os tratamentos atuais utilizados para combater esse problema

Caspa é o nome popular da dermatite seborreica, problema que, sem dúvidas, incomoda grande parte da população adulta (geralmente entre 20 e 50 anos de idade), mas que, ainda assim, ainda gera muitas dúvidas entre as pessoas.
A caspa é um problema exclusivo do sexo masculino ou também pode incomodar as mulheres? É contagiosa? Como tratá-la? Abaixo você confere a resposta para estas e outras questões importantes sobre o assunto. Vale a pena se informar!

O que é caspa?
A caspa pode ser definida como um processo de descamação da pele do couro cabeludo. Ligia Kogos, dermatologista membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia, da Sociedade Brasileira de Medicina Estética e diretora da Clínica Ligia Kogos de Dermatologia, explica que a caspa é resultado do excesso do trabalho das glândulas sebáceas no couro cabeludo. “É um problema muito comum especialmente no inverno, pois nada mais é do que uma proteção do nosso organismo para ‘aguentar o frio’… As glândulas produzem uma secreção que, por sua vez, queima a pele, descamando-a e formando aquela casquinha de pele morta”, diz a especialista.
Ligia acrescenta ainda que a descamação muitas vezes vem acompanhada de vermelhidão e coceira (mais ou menos intensas, dependendo do caso), o que costuma causar grande incômodo às pessoas que sofrem com o problema.
Dessa forma, vale ressaltar que a dermatite seborreica é uma descamação excessiva do couro cabeludo causada por predisposição genética, mas que, para se manifestar, depende da existência de outros fatores, tais como: clima, estresse, desequilíbrio hormonal ou alimentação rica em carboidratos e/ou gorduras.
A caspa acomete tanto as mulheres como os homens?
A resposta é sim. Porém, vale ressaltar, que o problema é mais recorrente nos homens.
Ligia Kogos explica que os homens são mais propensos à caspa por possuírem maior número de glândulas sebáceas – responsáveis pela oleosidade – e maior produção de hormônios, como a testosterona, que afetam diretamente no aumento de sebo no couro cabeludo.

Porém, as mulheres também não estão livres do problema. “Em casos de estresse, por exemplo, o ACTH (hormônio adrenocorticotrófico do córtex adrenal) é produzido em excesso, aumentando a atividade das glândulas sebáceas, que ficam super estimuladas, podendo resultar na caspa”, explica.
Ligia Kogos destaca ainda que mulheres que têm um pouco de hormônio masculino a mais estão mais propensas a ter caspa. “É mais comum o problema ocorrer também em moças que já possuem a pele mais oleosa e já sofrem, por exemplo, com a acne”, diz.
A dermatologista acrescenta que a mulher que sofre com a síndrome dos ovários policísticos também está mais sujeita a ter caspa. “Mas, de forma geral, nos homens, os casos de caspa geralmente são mais exuberantes, mais intensos, costumam incomodar mais”, revela a dermatologista.


Tratamentos para a caspa

1 – Xampu anticaspa
O uso de xampus para combater o excesso de trabalho das glândulas sebáceas é, de acordo com Ligia, a primeira medida a ser tomada. “Geralmente são produtos à base de enxofre, ácido salicílico, zinco, sulfacetamida sódica – que tentam regular a atividade das glândulas e remover esse excesso de células”, diz.

2 – Loções
De acordo com a dermatologista, pode ser necessário o uso de loções à base de corticoides (às vezes com outros ingredientes, como peritionato de zinco etc.), que possuem efeito anti-inflamatório, quando só o xampu não apresenta resultados.

3 – Banho de sol
O sol também é um aliado no combate à caspa. Ligia Kogos explica que o banho de sol (com proteção adequada no restante da pele) é recomendado, pois tem importante ação anti-inflamatória e ajuda a diminuir as atividades das glândulas sebáceas.

4 – Antifúngicos
Ligia destaca que, às vezes, são recomendados antifúngicos no tratamento da caspa, como, por exemplo, Ketoconazol. “Isso porque as condições no couro cabeludo que fazem surgir a caspa são propícias para o acúmulo de fungos – ou seja, eles acham ali condições para se proliferarem”, diz.
5 – Fotobiomodulação
Esta é uma outra alternativa de tratamento e, de acordo com Ligia Kogos, consiste na aplicação de laser com ação anti-inflamatória, à base de Iodo, que vai ajudar a regular as atividades das glândulas sebáceas, melhorando o quadro de caspas.


6 – Tratamento interno
Ligia Kogos explica que, em casos mais “graves”, pode ser necessário o uso de injeções de corticoides.

7 – Isotretinoína
Ligia explica que, em casos de caspa crônica, pode ser necessário o uso de Isotretinoína (Roacutuan) via oral, que regula de maneira definitiva a glândula sebácea.
Vale ressaltar que a melhor maneira de tratar a dermatite seborreica só poderá ser indicada por um dermatologista, levando em conta as particularidades de cada caso.
Como prevenir a caspa?

– Seguir uma boa alimentação, sobretudo, evitando o excesso de alimentos gordurosos, frituras, açúcares e carboidratos refinados.

– Evitar o consumo excessivo de bebida alcoólica.

– Praticar exercício físico também pode ajudar a combater a caspa.

– Evitar o sedentarismo e, também, não trocar a noite pelo dia.

VER COMENTÁRIOS
CONTINUAR LENDO
MOSTRAR MAIS