negócios

Dinheiro » Morar em São Luís capital do Maranhão custa caro
Áreas consideradas nobres chegam a ter valor de R$ 3.500 por metro quadrado construído.

Publicação: 30/08/2009 07:39

RAFAELA VIDIGAL

DA EQUIPE DE O IMPARCIAL

São Luís chega a ter o maior valor do metro quadrado em comparação a outras cidades do Nordeste. A informação é do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Maranhão (Sinduscon-MA) e se justifica pela avaliação de elementos, como: organização, grandes corredores, saneamento básico, diversidade de empreendimentos e de construções imobiliárias também podem contribuir para o encarecimento de um bairro.Nas áreas consideradas nobres, o valor do metro quadrado construído chega a valer R$3.500. Na periferia, segundo informações de construtoras, o valor pode chegar a R$30.No ranking ludovicense, a região do Renascença, Calhau e parte do Olho d’Água aparece como as mais caras. A Península da Ponta d’Areia lidera o ranking, chegando a custar R$4.500 o metro quadrado. Na segunda categoria, bairros como Parque Shalon, Cohama, Cohaserma e Vinhais.  Regiões mais afastadas, como a Cidade Operária, teriam valores de imóveis e terrenos mais baratos.De acordo com João Ferreira, assessor da presidência do Sindicato dos Corretores de Imóveis do Maranhão (Sindmóveis), não há critérios catalogados que descrevam o valor de uma região. O preço médio da área varia conforme as construções e estabelecimentos adjacentes ao bairro. Uma área nobre ou uma área considerada periferia recebe essa nomenclatura de acordo com a forma de ocupação e crescimento planejado. “Vai muito do planejamento da ocupação, da estrutura do bairro. No Renascença você observa uma qualidade na infra-estrutura, por isso é destinado à classe média alta. Bairros com ocupação desordenada já são o contrário, geralmente é habitado por pessoas de classes mais baixas”, explicou João Ferreira. De acordo com o assessor, bairros vizinhos também interferem na valorização de uma área. O diretor de mercado imobiliário do Sindicato das Indústrias da Construção Civil do Estado do Maranhão (Sinduscon-MA), Jeová Barbosa, completou os itens que encarecem uma região nas áreas urbanas. Segundo ele, as regiões tendem a ganhar valor com a proximidade e corte de grandes avenidas, chamadas corredores pelos profissionais da construção civil. Em São Luís, essas vias foram identificadas, como: Avenida dos Holandeses, Jerônimo de Albuquerque, São Luís Rei de França, Daniel de La Touche e Guajajaras. “A região do Centro, com residências em meia morada, estão desvalorizadas, perderam seu valor. Apenas a região comercial continua em alta”, analisou.

O cálculo por área leva em conta várias determinantes, conforme explicou Virgínia Duailibe, representante de uma das imobiliárias consultadas. “Para citar só um exemplo, um terreno no Calhau, com 800 m², pode valer x, se estiver no meio da quadra, e y, se for de esquina, ou ainda z, se estiver murado. Portanto, mesmo em se tratando de um valor médio, pode haver uma incorreção, se esse valor médio for servir de referência para quem quer vender ou para quem quer comprar”, explicou. Além disso, a qualidade do material, a vizinhança, a localização do imóvel, se nascente ou poente, podem determinar o valor da residência. 

Confira a matéria completa na edição impressa de O Imparcial

Compartilhe
| Mais

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.